28 de março de 2010

A Justiça foi feita! Até quando?


Amigos e amigas do Opinião e Crítica Brasil, passado dois anos após o assassinato brutal de Isabella Nardoni, a época com cinco anos de idade, Alexandre Nardoni, pai e Ana Carolina Jatobá, madrasta, foram execrados da sociedade para ''sempre''.
Para sempre, por que nada apagará de suas mentes maléficas a maldade cometida em cima de uma criança inocente e indefesa, nem tão pouco da mente do cidadão em comum.
Só quem é mãe, sabe a dor de se perder um filho, mesmo este as vezes já em fase adulta, daí a dor intensa, quiçá uma criança. Mãe é sempre mãe.
Confesso ser um crítico ferrenho de nossa ''bela e fantasiosa'' Justiça que não marca bobeira em casos assim, também fora correta em cima dos assassinos de João Hélio, menino arrastado por sete kilômetros pelas ruas de uma bairro do Rio, preso a um cinto de segurança, ainda assim, o ''mentor'' do crime, um menor de idada a época, ''cumpriu'' sua pena para com a sociedade, após três anos ''preso'' e está em liberdade, ponto negativo para nossa Justiça.
O mérito do caso Isabella vai para o excelente promotor, Franciso Cembranelli que teve uma atuação perfeita impedindo que os assassinos da menina voltassem as ruas.
O que fica agora é a dor da saudade, do sorriso, do jeitinho carinhoso, da alegria que só uma criança pode proporcionar a qualquer ''ser humano'' decente.
Nada apagará da memória de Ana Carolina de Oliveira, mãe de Isabella a dor de ser perder uma filha.
Alexandre Nardoni é um psicopata em potencial, frio, calculista, mentiroso, medíocre e sua comparsa, idem.
Pagarão por suas maldades, sofrerão a repugnância de uma sociedade inteira, estão no lugar onde escolheram para suas vidas, são vermes.
Quando um sujeito assim acaba com a vida de uma criança, acaba com o estrutural de um mulher, acaba com o prazer de ser mãe, acaba com todo um trabalho de vida, construído ao longo de nove meses, para só depois ser recompensado com uma bela criança, destrói a reputação de outros homens que querem por exemplo, ser pai.
Para Ana Carolina de Oliveira, a ficha começa a cair agora, a dor só aumentou.
Ficha essa que não caiu por parte da impressa, ao fazer do caso um verdadeiro circo.
Mas, o ''circo'' não foi algo escolhido, fora criado por dois ''palhaços maldosos'', atrairam a mídia e cansaram a paciência das pessoas.
Houve até quem comemorasse com fogos de artifícios como se fosse uma final de campeonato de futebol, coisas de Brasil.
Até um imbecil, operador de telemarketing quis se aparecer diante das câmeras da Rede Globo, por três vezes, fazendo gestos medíocres para auto se promover.
Agora o ''circo'' foi desarmado, seguirá para outros casos comoventes, melhor seria se não tivéssemos outros casos.
Resta agora saber até quando, Alexandre Nardoni e Ana Carolina Jatobá ficarão presos, é bom ficar de olho.
No futuro, o caso cairá no ''esquecimento de todos'' e algum ''advogadozinho'' tentará soltá-los por ''bom comportamento'', são as falhas de nossa Justiça.
Segundo Ana Carolina de Oliveira, a Justiça foi feita mas, o vazio ficará.
Por isso se faz necessário mudanças urgentes em nossas leis. É preciso mudar e já.
Prisão perpétua para seres inescurcopulosos como este casal e trabalho dentro da cadeia para eles, o que certamente não mudará a cabeça de alguns seres ''humanos covardes''.
Trinta e um anos de cadeia para Nardoni e vinte e seis para Ana Carolina Jatobá, não mudará a história de Isabella Nardoni ou outras crianças vítimas de assassinos covardes mas, muda a dos próprios covardes, a escolha é pessoal, agora apodreçam na cadeia. Pais e mães honestos e decentes, agradecem.

'' O mal que causas aos outros, é o mal que causas a sua própria geração.'' Jhonas Silva



5 comentários:

Zeca disse...

A justiça em casos assim "joga" para o povo e os holofotes. "Joga" ainda pela pressão da opinião pública, o que vem a ser um risco, pois a deixa mais vulnerável à erros dos quais temos farta literatura e noticias.
Menos mal que chegou-se a um veredicto. Ponto negativo para o show que se montou com a participação ativa de ensandecida multidão, muito me lembrando pela sua forma as histórias da santa inquisição ou os linchamentos de nossa história corrente.
Ruim pensar que os mesmo que lá estavam a soltar seus fogos de artifícios são so mesmos que mantem-se insensiveis a fome no mundo, que tira implacavelmente a vida de tantas crianças pelo mundo, para não falar de tantos outros exemplos de dormencia em que se encontra a humanidade.
Mas...estava na hora do show,.....e queira Deus que tudo não tenha realmente passado de mais um grande e irreparavel engano...pois em todos os enganos judiciarios...a certeza era se não absoluta, pelo menos insuspeitavel.
E segue a vida.....

maria cecilia disse...

Me gustó mucho este blog, aunque no soy de Brasil, me parece que contiene muy buenas ideas y buenos temas para discutir, lo mejor de un país es que sus habitantes gocen de una plena libertad de expresión y opinión, bien sea para resaltar lo bueno, o denunciar lo malo y exigir se haga justicia.

Opinião e Crítica Brasil disse...

Zeca, perfeita observação em suas palavras. Esse é o país das ''possibilidades'' e do empurra-empurra. Fatos como o de Isabella Nardoni, servem para mostrar como nossa ''justicinha'' precisa de um ''boom''para poder se mostrar. Daí o uso da mídia, dos holofotes frente ao caos de uma vida inocente. É o Brasil e suas nuances.
De fato, os mesmos ''fogueteiros'' de plantão que lá estavam, serve de massa de manobra para enaltecer o ''heróismo'' do promotor. São como no passado, pequenos ''burgueses'' sedentos por justiça e indiferente as dores alheias.
Não queremos outro ''espetáculo'' dessa magnitude pois, se assim for, teremos que criar uma espécie de ''Oscar'' para os mais incautos.
Obrigado por sua participação e continue a ajudar o blog.
Boa semana e abraços;
Jonas Silva

Opinião e Crítica Brasil disse...

María Cecilia, mi muchas gracias por el honor de tener en mi blog, un comentario de alguien que está kilomemtros lejos, en otro país, otro idioma.
Para mí es una comunicación sana y el contacto con otras personas para conocer un poco más de cada país, cada cultura, cada actitud. Para mí también es beneficioso para mostrar un poco de lo que sucede en mi país, lamentablemente desleal a su pueblo y un poco compasivo con quien está en el poder. Era el grito de los medios de comunicación y la opinión pública en este caso, sin duda, otros fines.
Sin embargo, tenemos la libertad de expresión y eso es lo que me mueve, opiniones, críticas, elogios, cuando sea necesario, ser conscientes de los hechos, siempre.
De nuevo, gracias por participar y me gustaría si pudiera divulgar mi blog en su país, puede ser?
Continuar participando, cuenta como la participación.
Gran fin de semana y los besos, Jonas Silva

Josiane disse...

Gostaria muito que em nosso país não precisássemos ler comentários a respeito de casos tão terríveis como o da menina Isabella, pois o ideal seria que as crianças não fossem vítimas de tanta maldade!!
Cada vez que leio algo sobre este caso, vem um misto de indignação e dor, um nó na garganta só de pensar na dor que a mãe dessa menina está sentindo.
Ainda penso que nossa justiça é falha, visto que uma assassina como a Suzana Von Hichtofen, já saiu da cadeia por "bom comportamento". Isso é ridículo.
Será que o Nardoni e a Jatobá, irão sair?? Deus me livre!!
A justiça fez o que pôde e o Sr. promotor Cembranelli com muita competência contribuiu, mas a dor da mãe é algo que não imaginamos.
Já chorei muito ao ver a Ana Carolina Oliveira falar sobre o caso, é terrível, nada é capaz de confortar essa dor!
Parabéns pelos seus textos e viva a liberdade de expressão!!