13 de dezembro de 2013

Salvos?

Amigos e amigas do Opinião e Crítica Brasil, certas coisas não diz respeito a um partido político.Não é PSDB, PT, PMDB, PTB, PSB ou qualquer outro,os responsáveis pela violência. O caráter de cada pessoa, é o que determina a qual sociedade pertencemos. Se você apóia o que é incorreto, só vai ter o que estamos cansados de ver, violência e mais violência.Seu orgulho não pode ser o mesmo orgulho meu. Logo, não posso apoiar a idéia de que vivo num país democrático e livre de todos os miasmas da vida. Não posso ser conivente com um país onde o futebol, samba, cerveja, carnaval, funk, programas medíocres de televisão, universitários corrompidos por ideais nefastos de pseudos - heróis do passado, e que ainda insistem em massificar os mais jovens, sejam para mim, motivo de orgulho. Não posso compactuar com um país que se preocupa com temas irrelevantes como homossexualismo ou racismo, e não dá a devida atenção aos mais necessitados, como idosos, crianças pelos faróis, exploradas por seus pais e mães, verdadeiros ratos de esgoto, passando-se por vítimas a todo o instante, forçando suas crias a trazerem-lhes algum lucro no decorrer do dia.
Não posso me orgulhar nunca de um país, onde não há leitos nos hospitais, remédios de extrema necessidade aos pacientes,  vagas nas escolas, creches, onde não há comida para as crianças que vão estudar.
Não posso aceitar jamais, a idéia de que uma pessoa passado os trinta anos de idade,  não consegue emprego porque é considerada '' velha'', como não posso aceitar o desrespeito aos aposentados.
Não posso ter orgulho de um país onde congressistas, juízes, promotores e senadores fazem a festa com o dinheiro público numa orgia vergonhosa.
Como posso dar um grito de euforia ao assistir a uma partida de futebol, sabendo que ali, no gramado, milhares de reais e dólares, rolam a custa do imbecil torcedor?
E a Copa? Verdadeiro sinônimo de burrice acentuada para um povo sem educação, que mal sabe assinar o nome,mas enche o peito de orgulho para torcer para a nossa seleção. Que honra é essa?
Alegrar-me do quê, sabendo que uma pessoa morre por um mero celular ou falta de saldo em sua conta, para a alegria geral dos midiáticos e festivos advogados ante as câmeras de televisão, disputando palmo a palmo, como num jogo de adivinhações, quanto tempo tal elemento pegará de sua pena, se é que pegará.
E como me orgulhar de um país, onde a impunidade impera amedrontando famílias inteiras?
Porque sorrir por uma felicidade vã, quando se viaja para algum lugar do país, postando hipocrisia e demagogia pelas redes sociais, sendo amanhã, vítimas de violência?
Como acreditar na credibilidade de um outrora, excelente jornalista, ao qual participou de um dos momentos mais históricos da política mundial e agora nos envergonha apresentando programas sem nexo, repetidas vezes por mais de uma década? Isso é exemplo de jornalismo?
Como acreditar que a Amazônia é patrimônio nosso, quando especuladores, na calada da noite, reunidos com políticos e sindicalistas, vendem a preço de banana um ecossistema inteiro aos estrangeiros? E os animais? Os ribeirinhas? Os índios?
Que lógica tem para você, ser cidadão de um país que lhe maltrata em portas de bancos, filas de hospitais, aperto em ônibus, trens, metrôs e cobram preços abusivos para uma péssima qualidade em seus serviços?
Como ter orgulho de um país que vive basicamente de salário mínimo, que não dá para o sustento de uma família e não vale um ''vintém'' na mercearia da esquina?
Senhoras e senhores, no Brasil vive-se a euforia do crescimento econômico, da tecnologia, da facilidade ao crédito e condenam sua vida inteira.
Que sentido faz, não ter os seus direitos básicos de ir vir, assegurados por lei, que defende marginais a todo o instante?
Um ministro do ''supremozinho'', vira celebridade da noite para o dia, por condenar ''mensaleiros'', e o povo acredita que todos os problemas do país foram resolvidos. Será?
Joaquim Barbosa, é o novo herói do país ou mais novo Policárpio Quaresma?
Qual o seu orgulho?

3 comentários:

Armando disse...

Acho que homossexuais e negros (pobres)também estão as margens da sociedade, assim como idosos e crianças. O problema mesmo é a desigualdade social. Se a pessoa nasce numa família pobre, ela vai ter que remar muito pra se dar bem neste país. Agora imagina o negro e o homossexual, pior ainda. Quanto ao Joaquim Barbosa, pra mim não é um herói, nem um futuro potencial candidato a presidente. Ele só faz o trabalho jurídico dele bem feito, isso porque o código penal não ajuda muito. A corrupção é apoiada nesse mesmo código penal ultrapassado a tempos.

Anônimo disse...

Primeiramente quero parabenizar o blog e dizer que nao seria tao bom se nao fosse feito por uma pessoa tao transparente e honesta!!!
Eu concordo com o texto e creio que devemos discutir sobrr assuntos mais importantes e significativos como a saude e a fome. Preconceito e racismo em minha opiniao ja depende do caracter de cada pessoa; e saude, fome, educacao ainda sao problemas sociais a serem resolvidos.
Ha lugares no Brasil que necessitam urgentemente de recursos como hospitais, e nao de estagios para gerar violencia ao vivo...
Se vamos passar vergonha nessa copa que esta por vim, que ao menos possamos desfrutar do lucro que ela trazera para nisso pais em investimentos publicos. Acredito que se fizerem uma pesquisa com as pessoas certas, iriam opinar por um prato de comida, uma vestimenta, um estudo, do que um mero titulo.
Entao esta ai minha opiniao!!!
Bju
Parabens Jhonas Silva.

Thamirys Santos disse...

Concordo plenamente.O Brasil não passa de um país de "aparências" onde se ignora as verdadeiras necessidades do país e da população e se prioriza coisas banais.