21 de abril de 2009

Proteção as crianças e adolescentes ou imposição da Lei?


Fernandópolis, Ilha Solteira e Itapura no noroeste do Estado de São Paulo, resolveram adotar a famosa e já conhecida ''lei' do ''toque de recolher'' para jovens adolescentes e já está gerando polêmica. A idéia foi muito simples, o Conselhor Tutelar de cada uma destas cidades criaram horários especificos para as ''crianças'' de hoje em dia estarem em casa. Efetivamente a idéia é afastá-las das drogas, bebidas e o mais aterrorizante dos crimes, a prostituição infantil. Ponto para a Justiça que está fazendo valer o Estatuto do Menor e Adolescente. Crianças com idades entre zero e 13 anos devem estar em casa até as oito e meia da noite, quem tiver entre 14 e 15 anos devem estar até dez da noite e por fim quem tiver entre 16 e 17 anos, até as onze da noite. Medida de suma importância para os dias de hoje mas que remete ao passado não muito distante de quando uma criança de fato era uma criança.
Saudaveis eram os tempos, em que crianças obedeciam seus pais, quando o respeito ainda se fazia presente nas familias. Não haviam medidas para crianças fazerem isso ou aquilo, bastavam as ordens de pai e mãe. Hoje os tempos de fato são outros, é salutar que as coisas mudem, como salutar também é o respeito pela própria vida.
Crianças hoje tem acesso fácil para tudo aquilo que visa transgredir a moral e sua ética. Possuem acesso fácil a bebida, droga, internet, a sexualidade gratuita (daí o motivo da pedofilia acabar com tantas crianças) sendo mostrada com facilidade na TV, jogos com conteúdos extremamente violentos, pais que não cuidam de seus filhos, pais que abandonam seus filhos. A criança hoje não é criança, tornou-se objeto de estudos e manias ditadas por novas tendências mercadológicas, não existe mais o mundo da fantasia mostrados em desenhos animados, mesmo por quê tais mundos não existem de fato. A inocência se perdeu através de uma rebeldia bem diferenciada das demais gerações passadas, hoje uma criança se torna homossexual com facilidade, uma menina se torna lésbica também facilmente com apoio de ''pseudo-psicólogos'' e seus congêneres, artistas e ativistas que dizem lutar por uma causa aparentemente ''igualitária'', papai e mamãe não podem mais dar um ''simples'' tapa no bum-bum que já se torna objeto de investigação por maus tratos. Acabou portanto, sonhos de uma familia estabilizada, de pais com crianças prontas a enfrentar o mundo com mais garra e determinação e encherem de orgulho os pais mais ''corujas do mundo''. Temos hoje uma geração assassina, criminosa em pequenos delitos, temos crianças entregues as bebidas, aos vicios, a prostiuição, crianças sem futuro, independente da classe social. Era necessário mesmo que tal medida fosse tomada para que o resgate a familia fosse de certa forma salva, mas convém lembrar que tal medida surge numa hora um pouco atrasada, fato que deveria ter sido feito há tempos. Esperemos que isso resulte em algo positivo para as crianças e que o resto de nosso país adote a mesma medida se preciso for.
Se isso for para proteger as ''crianças'' sem imposição, a idéia é valida.

8 comentários:

Anônimo disse...

A que ponto chegamos .... isto e o que da o tal do progresso que nos tras muitas coisas de bom e ao mesm otempo tira ...da a praticidade de tudo bem mais facil e pratico, mas no rouba a essencia da nossa criatividade e dos valores com os mais velhos algo ja perdido com o tempo não muito distante ...oque podemos esperar daqui a alguns anos ? se ate isto ja estão tendo que faser ...mas oque adianta se dentro de nossas casas num tem mais o dialogo, a convivencia e a familia ..e sim um monte de pessoas "convivendo" uns com os outros ...se a familia tem um bom nivel de vida conta com computador, celular entre outros pra ter contato com tudo que num leva a nada de bom ...e se num tem condições que pais ou mãe vai segurar estas crianças dentro de suas casas ...a atiutude tenta recuperar algo que nos foi dado a seculos e seculos a instiruição chamada familia ..e respeito.. que nos foi roubado pelo progresso que tem sim sua parcela de culpa por termos chegando aonde chegamos ...o resto e tudo culpa do proprio ser que cada vesz menos deixa de ser humano...

Opinião e Critica Brasil disse...

Valei pelo comentário... De fato a instituição familia deixou de ser válido para as nossas ''crianças e adolescentes'' chegando ao ponto de não haver mais preocupações por parte da própria familia e o resultado? Todo o tipo de sorte que vemos nos dias de hoje.
Abraços.

Giselle disse...

Eu, particularmente sou contra esse tipo de lei, creio que existem mtas providências a serem tomadas antes de qualquer decisão radical.
Acredito que um replanejamento familiar seja muito mais eficiente, as pessoas perderam os valores,estão sem base, uma lei assim seria só mais um problema gerado.

femminina disse...

Acredito que esse tipo de lei é só mais um "tapa buraco" da sociedade, um paliativo. Só achei desnecessário vc citar as garotas lésbicas. Além de ter soado preconceituoso, a lei busca coibir delitos de adolescentes e não a homossexualidade.

Anônimo disse...

Hoje em dia a pseudo-liberdade dá abertura que pais e familiares abandonem o ensino de valores e Ética, sob o argumento de modernidade, liberdade do indivíduo.Em relação ao homossexualismo,este tema merece um outro olhar, porque não se opta por ser diferente.Aliás,o conceito de normalidade também está distorcido atualmente: um pedófilo hétero, um corrupto, um casal que joga uma criança da janela, me causam muito mais ânsia, porque são imoralidades de caráter, pelas quais se pode optar em manter ou abandonar.Onde estão nossos juristas?Em Pasárgada? ASS: Graci Liberalino

Daniel Cauper disse...

Jonas, eu concordo plenamente com vc.

Deve-se salientar que as crianças de hoje não mais são as mesmas crianças de 69 anos atrás. Eu digo isso, pois o CODIGO PENAL foi instituido em 1940. Já fazem 69 anos que nosso codigo penal patrio foi instituido e ainda nao houve nenhuma reforma.
A globalização é um agente que contribui substancialmente na evolução do pensamento juvenil. Atualmente jovens com 12, 13, 14, 15 anos já têm a ciencia necessária para discenir as atitudes lícitas e ilíticas. O ECA (estatuto da criança e do adolescente) age de forma displicente e nao consegue coibir a pratica de atos ilicitos por parte dos menores, que atualmente representam uma grande parcela da população brasileira. A FEBEM tem estatísticas, alarmantes de jovens que cometem latrocínio seguido de homicídio. Resta fazermos uma análise crítica e reflexiva. Será que um jovem de 16 anos de idade, que pode casar (com autorizacao paternal) que pode votar (facultativo), pode ser aprovado em vestibular , não pode responder por atos ilícitos?

Opinião e Critica Brasil disse...

Eis aí outra polêmica, também concordo com você Daniel, mudam-se os critérios de vida, de sociedade, de conceito de familia, religiosidade, destroem o amanhã.É óbvio que estamos criando monstros do amanhã. Hoje anjos ''defendidos'', amanhã demônios a serem exterminados. Foi-se o tempo em que ser criança, era acreditar num futuro melhor, era saber que algo de bom estava nos esperando. Mas tudo mudou e vive-se hoje á base de incertezas.
Abraços

Anônimo disse...

Seu artigo é uma merda.